Camaçari FM
________________________________
20/06/17 as 04:05 pm
Ver Notícia

 

 

  

 

Resultado de imagem para Bahia e Vitoria Palmeiras tira invencibilidade do Bahia na Fonte Nova

Daniel Dórea

Neste Brasileirão, em três jogos em casa o Bahia havia, até este domingo, 18, vencido três vezes. Por outro lado, o Palmeiras tinha perdido suas quatro partidas como visitante.

História inversa à desta tarde, quando o Verdão mostrou sua superioridade técnica para, numa Fonte Nova com mais de 30 mil pagantes (maior público do Tricolor na Série A), vencer por 4 a 2 e  pular para a 12ª posição. o Bahia aparece logo acima, em 11º. Dois gols irregulares do Palmeiras foram validados pela arbitragem.

O próximo compromisso do Esquadrão é na quinta, às 19h30, em São Paulo, contra o líder Corinthians. Para o duelo, o técnico Jorginho contará com os retornos de Edson e Allione.

Perde e ganha

Com a chuva e o gramado irregular, Bahia e Palmeiras não conseguiram fazer uma partida de bom nível técnico. O ‘perde e ganha’ imperava e o Tricolor praticamente só conseguia chegar quando encontrava espaço para os contra-ataques.

Foi assim que assustou aos oito minutos, quando Edigar Junio avançou com campo livre à frente, mas perdeu velocidade e acabou travado na hora do chute. Antes, aos cinco, o time fez boa trama. Mendoza, que tinha as melhores iniciativas na equipe, deu belo passe para Renê Júnior, que carimbou Fernando Prass. No rebote, Edigar Junio também parou no goleiro palmeirense.

O Verdão pouco tinha feito até o lance polêmico que lhe valeu a abertura do placar. Aos 17 minutos, Keno foi lançado nas costas de Tiago e Eduardo, arrancou e terminou desarmado por um carrinho limpo de Rodrigo Becão, só na bola.

O árbitro Bruno Boschilia marcou o pênalti, convertido por Róger Guedes. Talvez abalado com o gol irregular sofrido, o Esquadrão sofreu queda brusca no embate. O Palmeiras deixou de oferecer clarões para a correria dos ágeis meia-atacantes do Tricolor, que não voltou a se aproximar da meta alviverde até os minutos finais. Só que aos 44, em lindo lance isolado, veio a igualdade. Zé Rafael foi acionado por Mendoza, colocou a bola entre as pernas do marcador e chutou para defesa de Prass. No rebote, Edigar Junio foi bloqueado novamente pelo goleiro. Apenas na segunda sobra Vinicius balançou a rede.

Fato que empolgou a torcida para uma possível virada no segundo tempo. Porém, o cenário mudou logo aos três minutos, em outra jogada crucial na qual o Bahia foi prejudicado pela arbitragem. Keno bateu da entrada da área, a bola desviou na zaga e sobrou para Tchê Tchê, completamente impedido. Ele lançou para Guerra, que ajeitou e Keno finalizou no ângulo para fazer um golaço.

Ter sido vazado tão cedo provocou um novo baixar de cabeça no Esquadrão, que poderia ter sido logo nocauteado pelo rival. Dos 15 aos 18 minutos, foram três boas chances perdidas pelo Palmeiras, com Guerra, Egídio e Jean.

Mas as coisas só se resolveram mesmo na metade final da partida. Aos 37, Mina parecia ter resolvido tudo para o Verdão ao marcar o terceiro após cobrança de falta. Entretanto, um minuto depois João Paulo voltar a dar esperança, na raça. Já nos acréscimos, Willian finalizou da entrada da área para definir o resultado.

 

 Vitória bate o Sport na Ilha do Retiro, sai da zona da degola e empurra o adversário.

Juliana Lisboa

Dominante no primeiro e no segundo tempo e com uma atuação convincente, o Vitória conseguiu, no domingo, 18, um triunfo na Ilha do Retiro. Além de vencer o Sport em seus domínios apenas pela segunda vez desde 1975, saiu da zona de rebaixamento, deixando em seu lugar o Leão pernambucano.

Desta forma, o Rubro-Negro baiano chega aos oito pontos, e fica na 16ª colocação na tabela do Campeonato Brasileiro. O Sport, por sua vez, abre a zona da degola, em 17º, também com oito pontos, porém com menor saldo de gols.

O próximo compromisso do Vitória é nesta quarta, 21, contra o Santos, no Barradão.

A partida

O Vitória jogou confortavelmente no esquema de contra-ataque e sobrou na partida até os minutos finais da primeira etapa. Atuando mais recuada, sem centroavante, a equipe comandada por Alexandre Gallo apostava mais no toque de bola e, atuando na velocidade, conseguiu chegar com perigo mais vezes no gol de Magrão do que os donos da casa ao de Fernando Miguel.

O Rubro-Negro se aproveitou dos erros do Sport, que, mais desorganizado em campo, dava brechas na defesa. A primeira chance do Leão surgiu logo no primeiro minuto, quando Geferson, de cara para o gol, bateu forte com o pé esquerdo, mas para fora.

Mesmo tentando pressionar e tendo mais posse de bola, o Sport não conseguia penetrar na área do Vitória sem ser desarmado. 

Após algumas tentativas do Leão da Ilha, Uillian Correia abriu o marcador aos 18 minutos. Kanu aproveitou sobra da bola em escanteio e deu o passe para o volante, que só fez empurrar para o gol. Alguns jogadores do Sport reclamaram de impedimento, mas o gol foi legal.

A partir daí, o Vitória cresceu em campo e passou a administrar melhor a partida, mas sem mexer no esquema de contra-ataque. E deu certo: aos 34 minutos, Patric chegou bem perto de ampliar, ao receber passe de Neilton e desperdiçar chance de cara com Magrão.

Mas Kanu compensou em seguida: aos 37, David ficou com sobra de bola após escanteio de Patric, tocou para o zagueiro, que bateu de primeira e marcou o segundo. 

Diego Souza descontou para o Sport ainda no primeiro tempo, aos 45 minutos, ao receber a bola em sobra na cobrança de escanteio e mandar de cabeça para o gol.

Segundo tempo pegado

A etapa complementar começou com o Sport buscando mais o jogo e ameaçando o gol de Fernando Miguel, que precisou trabalhar mais do que no primeiro tempo.

Ainda assim, o Vitória teve frieza para trabalhar em cima dos erros do Sport, que jogava mais afobado, e conseguiu fechar o placar com gol de André Lima, aos 33 minutos, com passe de Cleiton Xavier.

Ficha técnica

Sport: Magrão, Samuel Xavier, Ronaldo Alves, Durval, e Sander (; Rithely, Patrick e Fabrício (Tomás); Diego Souza, Osvaldo e André (Leandro Pereira)

T: Vanderlei Luxemburgo

Vitória:

Fernando Miguel, Leandro Salino, Kanu, Fred e Geferson; Willian Farias, Uillian Correia (Renê Santos), Yago (Cleiton Xavier), Patric, Neilton (André Lima) e David

T: Alexandre Gallo

Gols: Uillian Correia (19 minutos do 1º T), Kanu (37 minutos do 1º T), Diego Souza (aos 45 minutos do 1° T), André Lima (aos 33 minutos do 2º tempo)

Local: Ilha do Retiro, em Recife (PE), às 19h.

Público: 7.135 torcedores Renda: R$ 139.015,00

Fonte: http://atarde.uol.com.br/esportes


 

Todo Direito Reservado a AP-STUDIO PRODUÇÕES E EVENTOS

Trav. Afranio Peixoto 32C - Auto da Cruz
Camaçari - BA
CEP: 42808-070

71.3040-4147
diretoria@camacarifm.com.br